FIQUE POR DENTRO DO NOSSO CONTEÚDO, CADASTRE-SE:

Amamentação: mais que proteção, um vínculo com seu bebê

29 de junho de 2018

A importância deste ato vai muito além dos benefícios; trata-se de um processo que criará laços afetivos entre os dois!

Com o nascimento de uma criança, a responsabilidade dobra. Afinal, mamãe e papai devem manter todos os cuidados para que este novo ser cresça com saúde e muito feliz. E nos primeiros meses de vida, a mãe é o principal vínculo da criança. Principalmente em relação ao leite materno, que vem acompanhado de uma lista de contribuições para a proteção e desenvolvimento do bebê. Além disso, durante a amamentação, a mãe supre suas necessidades emocionais e diminui sua ansiedade. Nem é preciso dizer o quanto isso aumenta o vínculo entre os dois.

Importância da amamentação

O leite que a mulher produz possui nutrientes, proteínas, vitaminas e anticorpos, componentes imunológicos essenciais para a proteção do bebê. De acordo com a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), esse alimento protege a criança contra alguns tipos de câncer, doenças alérgicas, respiratórias, digestivas, crônicas, obesidade, desnutrição, meningites, sarampo, entre outros itens problemáticos.

“A amamentação é importante para o bebê por vários aspectos. Nutrição adequada, proteção contra infecções, modulação da resposta imune, fortalecimento do vínculo mãe-filho, contribuição para o desenvolvimento da criança e redução da mortalidade infantil são apenas alguns aspectos.”, diz Virgínia Spínola Quintal, mestre e doutora em Pediatria pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) e Presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da SPSP.

E os benefícios para a mulher não param apenas nas questões emocionais. “Para a mãe, a amamentação evita a perda sanguínea depois do parto e diminui as chances de ter câncer de mama e ovário.”, completa Virgínia. Além disso, há também a questão econômica. Afinal, o leite materno não tem custo e está pronto para ser servido a qualquer hora!

Volta ao trabalho


Muitas mulheres, ao retornarem à rotina do trabalho, acabam deixando de lado a amamentação. Mas, essa não é a melhor atitude! O ideal é que, caso já tenha data prevista para retornar ao emprego, a mãe comece a tirar aos poucos seu leite e faça um estoque no congelador ou freezer. Quando de fato voltar à ativa, retire e guarde o leite em um vidro rosqueado e fervido. Assim, seu bebê será alimentado adequadamente mesmo em sua ausência.

“A lei brasileira concede licença-maternidade de 120 dias, podendo se estender até seis meses com novas leis de incentivo à amamentação. Algumas empresas oferecem condições para que a mãe colete o leite durante a sua jornada de trabalho. Aliás, se o alimento não for retirado durante o período de trabalho, a sua produção tende a diminuir progressivamente.”, afirma nossa especialista. Lembre-se: seu bebê deve receber a melhor proteção que você puder oferecer.

Seios caídos?

Para finalizar, podemos falar sobre o mito dos seios caídos após a amamentação. Muitas pessoas acreditam que o ato de amamentar pode deixar os seios deformados. Entretanto, isso pode ser considerado uma inverdade. O segredo é se alimentar adequadamente.

Devido à má alimentação e, consequentemente, o aumento excessivo de peso em curto período, aumenta a quantidade de pele do seu corpo. Isso mesmo! Seu corpo terá de se adaptar a novas formas. Uma boa recomendação é usar um sutiã confortável próprio para amamentação.

Dadas as dicas, o segredo é manter uma vida saudável para você e sua família!

Renata Alarcon

Renata Alarcon

Publicitária, Palestrante, Escritora e Fundadora do Armário Feminino, A 1a. TV Digital para a Mulher. São mais de 10 anos dedicados a produzir conteúdo, mais de 7 milhões de visualizações por mês e mais de 2 milhões de reais investidos. Muito amor e energia aplicados em ajudar milhares de mulheres.

VÍDEOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR!