FIQUE POR DENTRO DO NOSSO CONTEÚDO, CADASTRE-SE:

A liberdade e responsabilidade de morar sozinha

15 de agosto de 2018

A certeza de que é o momento para ter seu próprio espaço vem junto com as dúvidas entre comprar ou alugar, quanto de gasto terá por mês, entre outros fatores

Morar sozinha é o principal passo para quem não vê a hora de ter sua própria independência e liberdade. E você, então, chegou à conclusão de que esse é o momento. Mas, será que está pronta para abrir mão de roupa lavada e passada, louça limpa dentro do armário e comida quentinha na mesa? Se sim, essa reportagem é dedicada especialmente a você: mulher independente que busca o seu próprio cantinho. E o primeiro passo à tão sonhada casa é saber quais serão os gastos, se deve alugar ou comprar, ir para uma casa ou apartamento…

Em relação às despesas, você deve se preparar para aquelas fixas, como condomínio, prestação ou aluguel, IPVA e IPTU. Depois vêm as que podem mudar de mês para mês, ou seja, alimentação, água, luz, gasolina, internet e celular. Em terceiro, nunca se esqueça dos imprevistos! Há aquela multa por alta velocidade, aquele micro-ondas que pifou ou até o travesseiro que o cachorro rasgou. E por fim, lembre-se de que existem aquelas despesas que toda mulher tem!

Melhor investimento

Agora que você já sabe as despesas que terá, deve decidir entre comprar ou alugar. Para Mário Sérgio Camelo Rodrigues, graduado em economia pela Universidade Federal Fluminense e Presidente do Sindeconomistas do Espírito Santo, a melhor coisa a ser feita é comprar o seu próprio imóvel, independente do salário que você ganhe.  A única coisa que pode variar é o tamanho da sua casa ou apartamento. “Comprar um imóvel sempre será a melhor opção, com certeza. Alugar deve ser sempre o último recurso ou em caso de súbita mudança.”, afirma Mário.

Segundo o especialista, para quem quer comprar a casa própria, o mínimo do salário mensal a ser poupado é de 30%. “Digamos que se queira comprar um imóvel de 120 mil reais. A entrada deste tipo de imóvel pode ser de 20 mil, a ser pago para a construtura e o restante financiado. Assim, quem ganha 3 mil, poupando 6% levará mais de nove anos para atingir esse valor ou um pouco mais de um ano e meio poupando 30% do salário. Para um salário de 6 mil, teremos a metade destes prazos”.

Mário continua: “os valores ideais para financiamento de longo prazo não devem ultrapassar 162 mil para quem ganha 3 mil, 324 mil para quem ganha 6 mil e 540 mil para salários de 10 mil. Do contrário o comprometimento do salário será muito grande e impedirá a pessoa de desfrutar de outros benefícios ao longo de um período de 30 anos”, conta. O economista também afirma que não é uma boa opção pedir empréstimo no banco. Porque o juros é sempre mais alto do que um financiamento comum.

 

Forma de pagamento

A maneira de pagamento que você irá optar para quitar o imóvel fica a seu critério. Porém, Marcos Calheiros, pós-graduado em projetos industriais pela CETREDE de Fortaleza e mestre em Marketing pela Universidade de Evora, em Portugal, diz que a melhor maneira é ir juntando dinheiro para as parcelas ficarem mais suaves.

“Uma opção é guardar certa quantia na poupança para dá-la de entrada no apartamento. Dessa maneira, as prestações não ficarem muito altas”, diz Marcos. No entanto, para evitar problemas financeiros no futuro, a melhor maneira é optar pela prestação decrescente. E, além disso, tentar pagar no menor tempo possível, para não ter a renda comprometida em longo prazo.

Pensa em dividir o imóvel com uma amiga? Então, lembre-se que vocês devem ser muito compreensíveis para não ter brigas durante o período juntas. Ah! além disso, não importa se você optar por uma casa ou um apartamento. Porque o que deve ser levado em conta é sempre sua segurança. Mas não se esqueça que em um condomínio a segurança é sempre maior. Já em uma casa você irá gastar com alguns itens para sentir-se segura. Inclusive porque uma mulher morando sozinha em uma casa é um alvo mais fácil.

Renata Alarcon

Renata Alarcon

Publicitária, Palestrante, Escritora e Fundadora do Armário Feminino, A 1a. TV Digital para a Mulher. São mais de 10 anos dedicados a produzir conteúdo, mais de 7 milhões de visualizações por mês e mais de 2 milhões de reais investidos. Muito amor e energia aplicados em ajudar milhares de mulheres.

VÍDEOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR!