A festa do pequeno

Não é preciso gastar muito com o evento e arrasar na comemoração desta data tão importante para deixá-lo feliz

Toda comemoração deve ter brigadeiro, bolo e muito refrigerante. Sem esquecer que as mães querem a decoração impecável e as comidinhas deliciosas para todos. Na verdade, quando o aniversariante e as outras crianças são muito pequenininhos a festa é mais das mães. É um momento de conversa e sentimento maternal compartilhado. Mas, quando eles crescem, é necessário mais atenção para entretê-los durante a festa inteira e garantir a animação, aproveitando a energia dos filhos.

Comidas adequadas
Pode esquecer aqueles pratos elaborados e chiques dos buffets de gente grande. O ideal mesmo é procurar algum lugar especializado em festas infantis, com comida fast food – que é o que a criançada mais gosta. Além disso, atenção aos tamanhos. As crianças só querem saber de brincar, portanto não gostam nem de pensar em ter que receber a ajuda da mãe para comer nessa hora.

Animação
Um detalhe importante para aquelas que não querem se preocupar se os pequenos estão gostando ou não da festa, é a contratação de recreação infantil. Os monitores preparam as brincadeiras e deixam a festa muito mais animada. “Nós priorizamos o contato direto com a criança, resgatando os antigos valores de convivência e brincadeiras, por meio de rodas cantadas, pega pega, pique esconde, ateliê de artes”, explica Chris Chu, proprietária da empresa de recreação Montinelly Eventos.

Conforto para as mães
Mas, também é preciso agradar os adultos. Por isso é preciso pensar em todos os detalhes. Contratar uma equipe que cuide de toda a programação é muito bom para quem quer ficar só curtindo a festa dos filhos. Cadeiras e mesas confortáveis são primordiais para que todos os papais e mamães se sintam bem. Um bom tapete na hora da brincadeira pode ser uma ótima opção, principalmente nos dias mais frios, em que as crianças não podem ter contato direto com o solo. “De qualquer forma o mais importante é levar em consideração o que o seu filho realmente quer. O que ele tem vontade. Assim, a festa não é feita somente para os convidados e sim para o aniversariante! E desse jeito, todos participam da melhor forma”, opina Juliano Figueiredo, recreador.

Decoração e lembrancinhas
Este é o ponto onde a opinião da criança deve ser levada totalmente em consideração. Saiba quais os personagens e cores que o pequeno mais gosta e invista nestes itens. Já as lembrancinhas formam uma parte importante, que até os adultos aguardando ansiosamente. Por isso, capriche, mas não é necessário gastar muito. Um mimo simples e delicado pode deixar todos com um enorme sorriso no rosto. Um ótimo exemplo é presentear com ioiô ou óculos colorido, daqueles de plástico, que vendem em lojas baratinhas. Agora é curtir a música e a hora de cantar parabéns.

Simples teste detecta apneia do sono

Saiba se seu pequeno possui um simples ronco ou sofre deste problema, e assim medicar de maneira correta

Durante a noite é sempre a mesma situação. Aquele barulho chato vindo das vias respiratórias, ou seja, o famoso ronco. Você, como boa mãe que é, se preocupa com a criança e quer descobrir se ela possui um pequeno desvio ou sofre de apneia do sono. Mas como detectar? Segundo estudo apresentado em 2009 no American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, um simples teste de urina pode definir o que acontece com seu filho.

E esta descoberta pode ajudar bastante no futuro da criança, já que a apneia é a interrupção da respiração e pode levar a problemas de aprendizado, de comportamento e até mesmo do coração. Claro que existem exames que detectam o problema, mas são muito caros e exigem que o pequeno fique em observação durante uma noite inteira de sono.

Segundo os pesquisadores, um exame de urina, coletado pela manhã pode apresentar o problema, por meio das proteínas. \”Essas descobertas podem abrir a possibilidade de desenvolver um teste relativamente simples de urina que poderia detectar apneia obstrutiva do sono em crianças que roncam. Isso aliviaria a necessidade dos dispendiosos e inconvenientes estudos do sono em crianças que roncam, pois apenas cerca de 20% a 30% delas têm apneia\”, explicou o pesquisador David Gozal, da Universidade de Chicago, nos EUA. 

Alimentação compulsiva

Se o seu filho anda comendo demais, fique atenta, pois pode ser ansiedade

Quando bebê, ainda é possível manter um controle rígido com a alimentação. Depois de crescer um pouquinho, o que mais acontece é a mãe negando frituras, refrigerantes e besteirinhas não nutritivas. Mas, quando chega a puberdade e o pequeno já está grandinho, o costume da rigidez na alimentação é deixado de lado, afinal de contas, esperamos sempre que os filhos saibam o que é bom e o que é ruim, e muitas vezes, foge ao controle algumas partes da dieta, principalmente na escola – onde as cantinas vendem todo tipo de gordura e doces possíveis.

Mas, a alimentação, principalmente a compulsiva pode ser sintoma de alguma outra coisa que incomoda o seu filho. “A ansiedade pode ser o problema. Ela é a origem de toda compulsão e, quando este sentimento não é trabalhado corretamente, pode acarretar diversas doenças, entre elas a obesidade. Os pais precisam dar suporte para que o filho consiga lidar com esta situação incômoda e com alguns mecanismos de defesas inconscientes ou conceitos distorcidos que podem levar a engordar, sem que se dê conta do motivo”, explica Ana Beatriz Cintra, psicóloga.  Por isso, antes de tentar mudar a alimentação de seu filho, verifique o que pode estar acontecendo em seu emocional, pois uma boa orientação pode resolver todos os problemas.

Amamentação: mais que proteção, um vínculo com seu bebê

A importância deste ato vai muito além dos benefícios que traz ao bebê e a mãe, trata-se de um processo que criará laços afetivos entre os dois

Com o nascimento de uma criança, a responsabilidade dobra. Afinal, mamãe e papai devem manter todos os cuidados para que este novo ser cresça com saúde e muito feliz. E nos primeiros meses de vida, a mãe é o principal vínculo da criança, principalmente em relação ao leite materno, que vem acompanhado de uma lista de contribuições para a proteção e desenvolvimento do bebê. Além disso, durante a amamentação a mãe supre suas necessidades emocionais e diminui sua ansiedade, assim como seu filho, formando um vínculo maior entre ambos.

O leite que a mulher produz possui nutrientes, proteínas, vitaminas e anticorpos, componentes imunológicos para a proteção do bebê. De acordo com a Sociedade de Pediatria de São Paulo, esse alimento protege a criança contra alguns tipos de câncer, doenças alérgicas, respiratórias, digestivas, crônicas, obesidade, desnutrição, meningites, sarampo, entre outros itens problemáticos. “A amamentação é importante para o bebê por vários aspectos: nutrição adequada, proteção contra infecções, modulação da resposta imune, fortalecimento do vínculo mãe-filho, contribuição para o desenvolvimento da criança e redução da mortalidade infantil”, diz Virgínia Spínola

Seu bebê mais relaxado

Mesmo com a saúde de seu bebê em ordem, a massagem pode ser um complemento para o bem estar da criança

Além de ser um momento único e saudável de aproximação entre mãe e filho, ou em algumas vezes, de pai e filho.

“A massagem é importante tanto para o bebê quanto para a mãe, pois traz um contato entre mãe e filho, reproduzindo um vínculo muito forte entre os dois, melhorando assim os objetivos da massagem”, diz Talita Parada, massagista.

A finalidade dos movimentos é relaxar, estimular a circulação, adquirir resistência no organismo, tranquilidade no sono, melhorar cólicas intestinais e estimular o desenvolvimento psíquico. A técnica mais usada para bebês é a Shantala, procedimento indiano importante para a família inteira, já que proporciona enorme interação e troca de afeto entre todos. Para a criança, o toque traz a lembrança dos movimentos de quando estava no útero, desse modo ele se sente seguro e protegido. “Ao ser tocado, o bebê percebe o quão é amado, e assim desperta a sua confiança, relaxa e acalma, além de também aliviar as cólicas e reduzir as prisões de ventre”, completa Talita.

A Shantala é realizada por um membro da família que deverá despir o bebê e sentar no chão sem contato direto com o solo, ou seja, deverá sentar em um colchão ou colchonete, com as pernas esticadas, costas eretas e ombros bem relaxados. A criança deverá ser posicionada sob a perna do massagista. Essa técnica pode ser feita todos os dias e intensificada conforme o crescimento da criança, podendo chegar a mais de meia hora por sessão.

Em relação aos óleos para aplicar durante a massagem, opte pelos naturais, que são compostos de lavanda ou calêndula.