Desconte sua TPM nos alimentos corretos

Não deixe o nervosismo mensal fazer você engordar e consuma apenas aquilo que será saudável

Todo mês é a mesma situação: nervosismo, tensão e estresse. Tudo isso por causa da famosa Tensão Pré-Menstrual ou TPM. Nestes dias, a maioria das mulheres resolve descontar a ansiedade em chocolates, sorvetes, refrigerantes, cigarros e cervejas. E o resultado após essa lambança são os quilinhos a mais que aparecem na balança e na frente do espelho. Mas para acabar com o engorda da TPM, que tal investir em alimentos saudáveis?

Conversamos com duas especialistas em comida de qualidade para poder ajudar a mulherada a largar a barra de chocolate, soltar o pote de sorvete e  deixar essa TPM mais saudável agora mesmo!

Beba bastante líquidos
Para a nutricionista do Hospital Samaritano de São Paulo, Mariana Exel, hidratação é a palavra-chave quando o assunto é TPM. “Tomar água previne retenção de líquidos e auxilia na eliminação das toxinas, diminuindo o inchaço”, afirma.

Além disso, alguns alimentos ricos em magnésio, como verduras de folhas verde-escuras, frutos do mar e outros também podem ajudar. “O magnésio é um mineral muito importante, pois reduz a ansiedade, irritabilidade e retenção de líquidos. As oleaginosas, como nozes e castanhas são ricas em ômega 3 e 6, são também antiinflamatórias, auxiliando na melhora do humor e regularizando o desequilíbrio hormonal”, afirma a nutricionista.

A também nutricionista do laboratório Sabin Elisa Goulart Machado Kovalski completa essa lista. “Figo, aveia, beterraba, alcachofra, quiabo, abacate e banana, especialmente nos dias que precedem e também durante a menstruação.”

O poder do cálcio
Os alimentos derivados do leite também são ótimos para aqueles dias.  “O interessante é consumir fontes de cálcio, sem lactose e derivados (iogurte naturais, queijo branco, coalhada), no mínimo três vezes por dia”, aponta Elisa. Já Mariana Exel vê a soja como uma aliada no combate à TPM. “Por conter isoflavona, pode ser consumida, pois segundo estudos, contribui na diminuição da dor nas mamas”, conclui.

Contém glúten?

A vida de quem tem a doença celíaca não precisa ser difícil, e pode sim ser muito saborosa!

Ao entrar no supermercado começa aquela batalha. É olhar em todos os rótulos dos alimentos para verificar se aparece uma palavrinha: glúten! Esta substância é encontrada principalmente na farinha de trigo, sendo responsável pelo crescimento de pães, bolos e outros produtos. Porém, algumas pessoas possuem intolerância ao glúten, na chamada doença celíaca, que aparece comumente em crianças, podendo surgir, também, em outras idades, redobrando ainda mais os cuidados com a alimentação fora de casa.

No Brasil
Existem cerca de 4 milhões de celíacos no país, principalmente pessoas com predisposição genética e portadores de diabetes (tipo 1). A doença causa disfunções como desnutrição e até câncer de intestino. Alguns sintomas principais são diarréia, mal estar e anemia. É preciso ficar bastante atento aos rótulos dos alimentos, pois quando uma pessoa celíaca acaba ingerindo glúten, ocorre dentro do corpo uma produção desenfreada de anticorpos que impedem a função da absorção de nutrientes. “Dessa forma, o organismo não consegue reter os nutrientes e os elimina através das fezes, o que deixa a pessoa mais predisposta a desenvolver déficits nutricionais e anemia”, explica Alessandra Rocha, nutricionista da loja online de suplementos alimentares Desejo Saúde”.

Fique atenta!
O diagnóstico deve ser feito por profissionais e de maneira cuidadosa. E como a doença não tem cura, o único modo de viver bem é eliminar a proteína da alimentação. Desde 2003, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabeleceu a obrigatoriedade da informação sobre a presença de glúten nas embalagens de todos os produtos alimentícios. Assim, facilitou bastante na hora das compras, mas mesmo com este cuidado, é sempre bom ficar ligada aos rótulos de tudo o que for consumir.

Substituindo…
A vida sem glúten não precisa ser difícil, será apenas mais cuidadosa. Depois de ingerir, os sintomas melhoram em até duas semanas com total recuperação – mas é preciso que o acidente não se repita, e que as idas ao nutricionista sejam regulares. Além disso, a farinha de trigo, por exemplo, pode ser trocada por farinha de milho, amido ou até creme de arroz. Chocolates e cervejas também não dão desculpas às desatentas: existem versões especiais, sem glúten, feitas especialmente para quem tem a doença.

Uma fase na vida das mulheres

A menopausa chegará para todas, e para amenizar os efeitos desta etapa, é preciso tomar certos cuidados

O corpo da mulher está sempre em mudanças hormonais, mas as principais transformações começam a partir do crescimento, onde não somos mais nem crianças e nem mulheres, e com isso vem a menstruação, e as “curvas” que vão surgindo. Depois o momento da gravidez e por fim chegamos a tão preocupante menopausa. Esse período é designado pelo encerramento dos ciclos menstruais e ovulatórios, ou seja, quando os níveis de estrogênio – responsável pelo desenvolvimento dos seios e útero e controlador do ciclo de ovulação – e progesterona, hormônio que controla a menstruação e prepara o útero para receber o óvulo já fertilizado, diminuem.

Esse processo pode acontecer a partir dos 45 anos, ou então um pouco mais cedo. “Geralmente ocorre entre os 45 e os 55 anos, no entanto, pode ocorrer a partir dos 40 anos sem que isso seja uma anormalidade. É dita menopausa precoce quando ocorre espontaneamente ou por cirurgia antes dos 40 anos”, afirma Hebe Karina de Oliveira Stucchi, mestre em Ciências Farmacológicas pela UNISO (Universidade de Sorocaba) e professora de Enfermagem da PUC- SP.

Durante a menopausa os ciclos menstruais não serão interrompidos imediatamente, ou seja, você pode perceber que está passando por esse período devido irregularidades no seu ciclo menstrual, como hemorragia e sangramento mais escasso. “Outros sinais e sintomas característicos como ondas de calor, alterações do sono, da libido e do humor, bem como atrofia dos órgãos genitais, aparecem em seguida”, completa Hebe. No entanto, impaciência, depressão, cansaço, cefaléia, palpitação, zumbidos, menor desejo sexual, ressecamento vaginal, dor durante o ato sexual e diminuição da atenção e memória fazem parte do pacote de sintomas que todas teremos que passar.

Todos os sinais citados acima podem interferir na vida da mulher, sendo severos ou prejudiciais, tanto para seu corpo quanto para sua mente e, por isso, merecem atenção. Para isso, a mulher pode fazer a Terapia de Reposição Hormonal (HRT), em que uma combinação de estrogênio com progesterona são administrados para equilibrar-se com a redução dos mesmos hormônios no organismo.  Outra maneira de amenizar os sintomas da menopausa é usar suplementos dietéticos alternativos. Os suplementos de fontes botânicas podem exercer efeitos estrogênicos ao corpo, o que modera os sintomas desse período.

Há também outros cuidados que melhoram sua qualidade de vida durante esse processo. “Em alguns casos há indicação de reposição hormonal. Mas, alimentação saudável (vegetais, frutas, pouco sal, alimentos com grão integral, peixes gordos e carnes magras) e atividade física, com certeza, contribuem para uma melhor qualidade de vida nesta fase”, completa Hebe.

Passar por esse período é algo natural, por mais doloroso que seja para algumas de nós, já que pensamos que estamos envelhecendo. No entanto, o que se deve fazer é aceitar todas as fases pelas quais temos que passar e manter uma vida saudável.

 

Saúde em dia

Uma das principais causas de morte entre as mulheres ocidentais, o câncer de mama pode ser curado por meio de exames periódicos

De acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2010 o risco de mulheres adquirirem a doença é de 49 casos para cada 100 mil pessoas do sexo feminino. Parece pouco, mas é um número alarmante, e que deve ser levado em consideração principalmente entre as mulheres com mais de 35 anos, que encabeçam o grupo com maior número de casos.

O câncer de mama não tem uma causa específica, mas alguns fatores podem contribuir para o seu desenvolvimento. Um deles é o simples fato de ser mulher – embora os homens também estejam sujeitos a desenvolver a doença, apenas 1% da população masculina é acometida pelo câncer de mama –, por conta de um hormônio chamado estrogênio. José Roberto Filassi, formado em medicina pela USP, alerta: “Praticar exercícios físicos, evitar a obesidade, amamentar, não fumar e não consumir bebidas alcoólicas em excesso ajudam a prevenir o surgimento da doença.”

O problema pode ser consequência de uma mutação genética ou irradiação do tórax na adolescência para tratamento de outras doenças, por isso é importante fazer exames constantemente – seja em laboratórios ou o conhecido exame de toque. Rita Albuquerque, 20 anos, estudante de jornalismo, tem histórico de câncer de mama na família, o que a obriga fazer exames periodicamente. “Tanto eu quanto minha irmã realizamos os exames a cada seis meses. Minha mãe descobriu cedo e por isso pôde se curar, apesar da gravidade dos nódulos malignos”, conta.

Porém, o exame de toque não é o suficiente. A partir dos 40 anos a mulher precisa ir ao mastologista pelo menos uma vez por ano e verificar se está tudo bem e caso encontre um nódulo ou caroço antes deste período, é preciso ir ao médico para verificar o que é. Quanto mais cedo a doença for descoberta, maior são as chances de cura e tratamento. Vale a pena lembrar que se a doença não tiver cura, isso não significa uma morte iminente, é possível viver bem com tratamentos.

Os nódulos podem ser benignos ou malígnos. O profissional explica: “A descoberta de um nódulo benigno deve pressupor acompanhamento. Depois da confirmação por biópsia de que tratam-se de células benignas nem sempre é preciso tratar, isso vai depender do tamanho do nódulo. Os que se apresentarem com menos de dois centímetros não precisam ser tratados, apenas acompanhados. Os que forem de tamanho maior que dois centímetros ou representarem um grande incômodo para a paciente podem ser retirados por meio de cirurgia. Os nódulos malígnos são o câncer de mama”, alerta.

O tratamento da doença, por sua vez, é principalmente cirúrgico. Depois da retirada total ou parcial do tumor, dependendo da cirurgia realizada, poderá ser necessário fazer um tratamento complementar com quimioterapia e/ou radioterapia ou hormonioterapia.

Uma mulher com histórico de câncer de mama apresenta uma chance maior de recorrência da doença. Assim, é preciso fazer o seguimento adequado por toda a vida. Nos primeiros dois anos após a cura da doença é preciso realizar o acompanhamento a cada 3 ou 4 meses. Entre dois e cinco anos deve-se fazer o acompanhamento a cada 6 meses. A partir do quinto ano, depois da cura, o acompanhamento passa a ser anual.

Boas notícias
Uma pesquisa feita em ratos nos Estados Unidos comprovou que o estresse crônico ajuda a disseminar o câncer de mama, uma vez que este consegue reprogramar as células imunológicas que tentam combater o câncer. Os pesquisadores conseguiram reduzir os efeitos com exercícios físicos e técnicas para controlar o estresse, o que resultou no bloqueio da disseminação da doença. Segundo os especialistas, se os mesmos resultados forem constatados em humanos, o estudo pode trazer esperança de novas abordagens para prevenir a recorrência e a metástase do câncer de mama.

Dê fim ao mau hálito

Aquela saia justa com amigos e namorado pode ser evitada se a higiene bucal ganhar um pouquinho mais de atenção

Depois de algum tempo paquerando o gato de longe ele finalmente se aproxima. Parece que tudo vai dar certo, mas seu hálito não está nada cheiroso. Nessas horas, o bom e infalível chiclete pode ajudar muito a sair dessa situação, mas nem sempre ele te salva, e muito menos deixa a sua boca mais saudável. Mau hálito é sério, pois mexe com a saúde bucal. Além disso, ninguém quer deixar aquela má impressão com os caras, muito menos ser taxada de apelidos nada positivos.

Odor Matinal
Não adianta querer acordar linda e maravilhosa e entrar de cara num beijo com o bofe logo que abrir os olhos. O mau hálito matinal é natural e quase todo mundo tem. Aquela ideia de filmes e propagandas de margarina não existe. Então, o primeiro passo do dia deve ser escovar os dentes e tomar o café da manhã. Se o odor ruim continuar, o problema pode ser considerado mau hálito mesmo, e aí sim precisará de acompanhamento médico.

Sem dar sorte para o azar
Se a limpeza oral for deficiente, a probabilidade de placas bacterianas, retenção de alimentos e cáries será maior. Além disso, o mau hálito pode ter outras causas, como perturbações do sistema gastrointestinal, intestino preso, estresse, doenças hepáticas, entre outras. Para não dar moleza, preste bem atenção nos seus hábitos e peça ajuda aos amigos, já que na maioria dos casos, a própria pessoa quase nunca sente seu cheiro.

Não é doença
Isto é apenas um sinal de que algo está errado no seu organismo – e que pode ser resolvido. “Na halitose, o sinal preponderante é a exalação de odores desagradáveis oriundos da cavidade bucal e ou nasal por meio da respiração. O tratamento depende do tipo diagnosticada. Portanto, o tratamento mais eficiente é a eliminação da causa do mau hálito e, sobretudo, a manutenção adequada deste tratamento pelo paciente”, explica Malba Delian, periodontista do Instituto Brasiliense de Odontologia (IBO).

Olha a água mineral

Acabe com os aqueles quilinhos a mais e ainda colabore com a saúde

Faça um teste: ao longo de um dia inteiro de trabalho, quantas vezes você vai até a copa para encher sua garrafinha de água? Se não passar de um ou dois passeios, é preciso ficar alerta, afinal de contas, o corpo humano é composto de 70% de água, e é muito importante deixá-lo sempre bem hidratado. Além disso, o líquido ainda ajuda a acabar com aqueles quilinhos a mais.

Acabe com a fome
Beber dois copos de água antes de cada refeição pode ajudar a perder medidas. Como isso? Quando homens e mulheres bebem muito do líquido, a barriga acaba ficando cheia, fazendo com que na hora de comer, a fome tenha diminuído. Então, quando aquela fominha bater no meio do dia, tome um copo d’água e só coma se a sensação continuar.

Algumas dicas:

  • O ideal é tomar 2,7 litros de água por dia. Já para quem pratica exercícios físicos, esta quantidade deve ser maior ainda, em torno de meio copo a cada 15 minutos;
  • Quanto mais gelada for a água, melhor! A baixa temperatura da bebida faz com que o metabolismo acelere para equilibrar a temperatura do líquido com a do organismo;
  • A ingestão adequada não só ajuda a emagrecer, mas também a diminuir a celulite. Ela ativa a circulação do sangue, não deixando que o sódio fique retido e evitando que nada fique acumulado na região das coxas e do bumbum;
  • Outras bebidas como suco, água de coco e chá podem ter o mesmo efeito, mas é bom esquecer a cerveja e o refrigerante, pois estes líquidos não fazem bem ao organismo;
  • Para obter melhores resultados, invista também em alimentos ricos em água, como verduras, frutas e legumes;
  • Evite beber água durante as refeições. Isso faz com que o processo de digestão seja prejudicado. O ideal é beber 30 minutos antes de comer;
  • Cuidado com excessos! Beber água demais pode causar intoxicação hídrica, levando a alterações da consciência, além de dar a sensação de bebedeira.