Aprendendo a fazer Cookies de Aveia

Quer aprender a fazer cookies de aveia?
Simples e saudável!
Anote a receita! Só não vale exagerar.

Ingredientes

1 xícara de aveia em flocos
1 xícara de farinha (pode ser metade de farinha de linhaça e metade de farinha de aveia. Use a farinha que você preferir)
1/2 xícara de açúcar Demerara (ou mascavo)
2 colheres de sopa de mel
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio (opcional, mas vai ajudar a deixar mais crocante)
1 ovo
1 colher de sopa de manteiga derretida

Modo de Preparo

Em um refratário, junte a aveia, as farinhas, o açúcar, o fermento e o bicarbonato. Misture bem. Acrescente a manteiga derretida e o ovo. Mexa até incorporar bem, faça bolinhas achatadas e leve para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por 30 minutos ou até ficar douradinho embaixo.

Um prazer chamado chocolate

Este doce pode ajudar as mulheres na diminuição da ansiedade, na melhora do colesterol, entre outros benefícios. Mas claro, se consumido com moderação

Branco, amargo, ao leite, trufado, meio amargo, com pedaços de castanha, flocos de arroz, enfim, são tantas versões de chocolate que deixa qualquer um com água na boca, não é mesmo? Ainda mais nós, mulheres, que somos apaixonadas por este doce e usamos como desculpa todos os tipos de situação, seja quando não encontramos a roupa certa, quando temos aquela prova, quando brigamos com o namorado ou ficamos sabendo daquela fofoca, quando estamos de TPM ou então quando nos sentimos a pessoa mais feliz do mundo.

Mas existem também aquelas que buscam o chocolate por qualquer motivo, sendo consideradas viciadas no doce. Este é o caso da estudante Thaís Stucchi, 19 anos, que sente mais desejo durante a noite, mas não dispensa um chocolatinho ao longo do dia. Além disso, Thaís também não opta por um doce um pouquinho menos calórico. “Se é pra comer chocolate, vamos comer! Não vou ficar escolhendo por diet ou light, acho que não tem diferença”, afirma a estudante. Porém, há sim diferenças entre esses dois tipos de chocolate. Segundo Kátia Terumi, formada na Universidade Metodista e nutricionista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, o chocolate diet não tem adição de açúcar, mas nem sempre apresenta redução calórica, o que faz dele, muitas vezes, gorduroso. Já o light possui redução calórica, mas não é, necessariamente, zero em açúcar, apresentando apenas reduções.

Relação chocolate X mulheres
Mas a grande questão é: por que nós, mulheres, somos completamente loucas por chocolate? O que acontece é que o sexo feminino tem queda de taxa de estrogênio e diminuição da serotomina, o chamado hormônio da felicidade, e são os doces, incluindo o chocolatinho, que ajuda a aumentar a serotonina.

Além disso, o chocolate ajuda na formação de alguns hormônios benéficos, que diminuem a ansiedade, melhoram o colesterol, trazem benefícios ao sistema cardiovascular, são fontes de energia e previnem depressão. Mas fique atenta, pois assim como qualquer alimento, o consumo em excesso do docinho pode causar excesso de gordura corporal, o famoso pneuzinho, diabetes, pressão arterial alta, entre outros probleminhas.

O nutricionista Antonio Pedro Tavares, pós-graduado em Fisiologia do Exercício pela Unifesp e em Nutrição Clínica Funcional pela UNICSUL, afirma que o melhor chocolate para consumirmos é aquele com 70% de cacau. “Quanto mais amargo, maior o teor deste elemento e menor o de açúcar”, afirma. Outro ponto interessante é o horário para saborear a guloseima. O ideal é consumi-lo em média meia hora antes do exercício ou logo após. “Recomendamos cerca de 15 minutos a 30 minutos antes do esporte ou logo após, especialmente as opções que não contém grandes quantidades de gordura, pois a mesma retarda a absorção dos nutrientes, o que é prejudicial ao desempenho ou a recuperação pós-exercício”, conta.

Agora uma ótima notícia para todas as mulheres: podemos comer chocolate todos os dias! O consumo diário de 25g a 50g não compromete uma alimentação saudável e pode ser encaixado facilmente entre as refeições.

Excesso: a grande vilã

Estudo recente aponta que comer exageradamente carnes vermelhas aumenta o risco de derrames entre as mulheres

A famosa frase: “tudo o que é exagerado só traz problemas” está sempre certa, principalmente quando envolve alimentação. No caso da pesquisa realizada na Suécia, o excesso tem a ver com a ingestão de carnes vermelhas na dieta do público feminino. O grupo foi formado por 30 mil mulheres entre 39 anos e 73 anos, e assim, verificado o nível de consumo do alimento por dia. Aquelas que colocavam no prato pelo menos 102 gramas de carne vermelha apresentaram 42% mais chances de sofrer um derrame, em comparação à mulherada que come 25 gramas diariamente.

Durante o estudo, foi detectado que a alimentação deste tipo de comida está associada a diversos problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas e pressão alta, além do risco de infarto cerebral em mulheres.

Como funcionou
Ao longo de dez anos, 1680 participantes tiveram derrame, principalmente causado pela obstrução de uma artéria que leva sangue ao cérebro. Além disso, os pesquisadores notaram que a ingestão de mais de 85 gramas por dia estava associado a 22% mais chances de sofrer derrame, em relação ao consumo de menos de 36 gramas de carne diariamente. Além disso, a ingestão excessiva de carnes processadas (41 gramas, comparado a 12 gramas), como o presunto, foi associada a 24% maiores riscos

Segundo o estudo, a ingestão excessiva de carnes vermelhas pode aumentar a pressão arterial, principal causa do derrame.

Desconte sua TPM nos alimentos corretos

Não deixe o nervosismo mensal fazer você engordar e consuma apenas aquilo que será saudável

Todo mês é a mesma situação: nervosismo, tensão e estresse. Tudo isso por causa da famosa Tensão Pré-Menstrual ou TPM. Nestes dias, a maioria das mulheres resolve descontar a ansiedade em chocolates, sorvetes, refrigerantes, cigarros e cervejas. E o resultado após essa lambança são os quilinhos a mais que aparecem na balança e na frente do espelho. Mas para acabar com o engorda da TPM, que tal investir em alimentos saudáveis?

Conversamos com duas especialistas em comida de qualidade para poder ajudar a mulherada a largar a barra de chocolate, soltar o pote de sorvete e  deixar essa TPM mais saudável agora mesmo!

Beba bastante líquidos
Para a nutricionista do Hospital Samaritano de São Paulo, Mariana Exel, hidratação é a palavra-chave quando o assunto é TPM. “Tomar água previne retenção de líquidos e auxilia na eliminação das toxinas, diminuindo o inchaço”, afirma.

Além disso, alguns alimentos ricos em magnésio, como verduras de folhas verde-escuras, frutos do mar e outros também podem ajudar. “O magnésio é um mineral muito importante, pois reduz a ansiedade, irritabilidade e retenção de líquidos. As oleaginosas, como nozes e castanhas são ricas em ômega 3 e 6, são também antiinflamatórias, auxiliando na melhora do humor e regularizando o desequilíbrio hormonal”, afirma a nutricionista.

A também nutricionista do laboratório Sabin Elisa Goulart Machado Kovalski completa essa lista. “Figo, aveia, beterraba, alcachofra, quiabo, abacate e banana, especialmente nos dias que precedem e também durante a menstruação.”

O poder do cálcio
Os alimentos derivados do leite também são ótimos para aqueles dias.  “O interessante é consumir fontes de cálcio, sem lactose e derivados (iogurte naturais, queijo branco, coalhada), no mínimo três vezes por dia”, aponta Elisa. Já Mariana Exel vê a soja como uma aliada no combate à TPM. “Por conter isoflavona, pode ser consumida, pois segundo estudos, contribui na diminuição da dor nas mamas”, conclui.

Delícia natural

No corre-corre do dia, ou então para manter a dieta balanceada, nada melhor do que optar por sanduíches naturais, que são saudáveis e cheios de vitaminas e outros nutrientes

Naqueles dias em que você está de folga, curtindo bons filmes e não quer por nada desse mundo ir para cozinha e fazer um prato mais elaborado. Ou então, quando você está naquele dia super corrido e não tem tempo de sentar e apreciar a refeição tranquilamente, a melhor solução para não sair da dieta e alimentar-se de algo saudável é elaborar um belo sanduíche naturais.

Um belo lanche com ingredientes balanceados pode ser o alimento ideal para substituir uma refeição como o almoço e o jantar, além de ser ótimo quando bate aquela fominha durante a tarde. Essa é a sugestão de Antonio Pedro Tavares, pós-graduado em Fisiologia do Exercício pela Unifesp e em Nutrição Clínica Funcional pela UNICSUL (Universidade Cruzeiro do Sul), “Em geral, os sanduíches podem ser opções interessantes para refeições menores e, eventualmente, substituir uma refeição principal se preparado com ingredientes saudáveis”, afirma.

Mas atenção! Fique esperta a esses ingredientes saudáveis. Um cheese-burguer e, até mesmo, um beiture não possuem alimentos balanceados. O pão do cheese-burguer tem pouquíssima fibra e o queijo e a carne vermelha são muito calóricos e fontes de gordura saturada. Já o beirute, possui muitas fatias de queijo e ovo frito, ingredientes também ricos em calorias. Segundo Karen Impellizieri de Oliveira, formada pela Universidade São Camilo e nutricionista na Unidade Gerontológico Paulista, os itens mais saudáveis que devem conter em um belo sanduíche são: pães integrais que conferem maior saciedade, frios magros (peito de peru, queijo branco, ricota e presunto magro), vitaminas e minerais (verduras, legumes e frutas) e maionese light. Além disso, Tavares dá outras dicas de produtos para você montar seu lanche e ser criativa, estes são: requeijão light, peito de frango, atum light, azeite, cenoura, tomate, folhas verde-escuras, milho, cebola e uva passa. Porém, não se esqueça, não é porque você está se alimentando com ingredientes mais leves que pode exagerar na quantidade.

Os sanduíches prontos vendidos, muitas vezes na academia também podem ser uma boa solução se você não quiser ter o trabalho de preparar o seu. No entanto, deve ser certificado que são conservados na temperatura correta e se sua preparação segue normas de higienização. Mas lembre-se que o alimento feito por você pode ter muito mais qualidade, já que os itens de composição serão escolhas sua.

Segundo Aline Atalla, formada na Universidade São Camilo, nutricionista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, os lanches de rede de fast-food não são uma boa opção. “Eles não devem fazer parte da alimentação habitual, pois geralmente contêm muita gordura. Para ‘amenizar’ os malefícios, deve-se escolher sanduíches grelhados, sem ou com pouca maionese”, afirma.

Agora é só usar sua criatividade e se deliciar com sanduíches maravilhosos e, acima de tudo, saudáveis.