Em Breve! Canal de Vídeos
 


Pais, filhos e responsabilidades

Seja exemplo para as crianças ensinando respeito e boas maneiras no comportamento

Atualmente, é mais do que comum famílias onde tanto o pai quanto a mãe trabalham fora de casa, e assim ficam muito tempo longe dos filhos e de sua educação, peça primordial nos primeiros anos de vida. Há quem contorne bem essa situação e consiga arranjar um tempinho bom para cuidar das crianças, mas não é regra. Pais muito ausentes tendem a mimar o filho para suprir a carência deles, e isso vai contra a conduta de uma boa educação.

Família ê, família a, família
Mas afinal, o que significa esse termo usado em uma música da banda Titãs? Constituída por pai, mãe e filhos, é muito comum também termos as variações pai e filhos ou mãe e filhos. Ou mesmo avós e netos. O importante não é sua composição, e sim a relação que os une. “Tanto a formação quanto a interação entre os parentes é o que determina a educação dos filhos”, afirma a psicóloga Ana Paula Giacomazzi, de São Paulo.

Na nossa cultura, o pai é o provedor e a mãe é responsável pela educação e cuidado dos filhos. Até meio século atrás, os pais saiam para trabalhar enquanto as mães cuidavam da casa e das crianças, aconselhando, ajudando nos deveres da escola, educando. Hoje, as coisas mudaram um pouco. As mães, indo trabalhar fora, se dividiram em provedoras e orientadoras, assim como os pais também tiveram que aprender a ter seu lado maternal. E é essencial que ambos participem igualmente da educação do filho.

Separação
A família, quando dividida, deve ensinar as crianças que aquilo é um processo natural. “O discurso dos pais separados deve ser norteado pela ideia de que a separação é entre o pai e a mãe, e não deles com os filhos”, alerta Danilo Marmo, psicólogo clínico e analista, de São Paulo. Assim, os pais continuam tendo a mesma responsabilidade na criação dos filhos, sem inseri-los nos problemas do casal.

Quando a criança morar com um dos pais, tarefas e limites não devem deixar de serem impostos. “Combinados entre os pais quando um está com a criança por um determinado período são essenciais. Se for decidido que o filho só pode tomar refrigerante durante o domingo, a decisão deve ser mantida seja com quem ele estiver”, explica Ana Paula. “Se isso não for mantido, a criança aprende a fazer coisas escondidas”, reforça.

Tempinho para as crianças
Dê exemplo: mesmo que seu filho considere chato estudar, dê suporte a ele e mostre a relevância de passar algumas horinhas fazendo lição. “Muitas vezes são necessárias longas conversas com a finalidade de explicar e demonstrar aos filhos por que os pais agem de determinada maneira”, explica a psicóloga. Por exemplo, se você prega que é correto acordar cedo, comer vegetais e se exercitar, ajude seu filho a seguir seus passos e mostre por que esses hábitos são bons.

Ao criar hábitos e rotinas, dê a ele um tiquinho de responsabilidade. Colocar o prato na pia ou arrumar a cama são tarefas que você pode ir iniciando aos poucos. “O filho aprenderá a ter responsabilidade por meio da experiência. Cabe aos pais deixarem a criança viver suas experiências e dar suporte caso tenham sucesso ou se frustrem com alguma tarefa”, finaliza Danilo.



Foto: weheartit.com
 
Siga-nos no Instagram
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas