Em Breve! Canal de Vídeos
 


O gatinho chegou

Descubra quais são os cuidados básicos que se deve ter quando sua casa passa a ser habitada por um peludinho

Um gato em casa é sempre uma boa companhia, seja para quem é solteiro e precisa de uma companhia para dar aquela zapiada na televisão ou até mesmo para uma família que gosta de conviver com um animal dengoso, quietinho (na maioria das vezes) e que adora se esconder dentro de um armário, no meio das suas cobertas ou em uma caixa de sapato. Mas, quais cuidados devemos ter com esses bichanos?

Primeiramente, adotar é sempre uma opção melhor do que comprar, pois há muitos animais por aí, a espera de um lar (sites como o Adote Um Gatinho -  http://adoteumgatinho.uol.com.br/ - trabalham especificamente com miadinhos fofos). O que é importante ter em mente é não agir de forma impulsiva para posteriormente perceber que você não está preparada para cuidar do animal, portanto, apenas tome a decisão de trazer para dentro de casa qualquer animal, depois que você e todos os outros moradores da casa estiverem preparados para receber o novo integrante.

Gato toma banho?
Claro que sim! Mas não podemos inventar de dar banho neles a hora que bem entendermos. O médico veterinário Otávio Valério de Carvalho, mestrando em Ciências Clínicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) é quem nos conta um pouco mais sobre o banho desses mamíferos. “A frequência de banhos não deve exceder o máximo de um por semana (no verão). Banho diário é outro erro comumente cometido e que pode predispor o animal a várias doenças de pele”, explica.

A tela é indispensável
Gatos sobem em lugares altos e pulam para lá e para cá, mas se você mora em apartamento, todas as janelas devem ter telas, principalmente em andares mais altos, pois uma queda pode ser fatal.

Desmamando na época certa
Filhotes recém-nascidos são super fofos, mas precisam ficar uns dias ao lado da mãe para que possam se desenvolver da maneira correta, com os nutrientes que o leite materno irá fornecer. “O gatinho deve ser adquirido ao desmamar da mãe, em torno de 40 a 60 dias de vida e levado ao veterinário para providenciar a vermifugação e vacinação”, conta Carvalho.

 Brinquedinhos são necessários

Os felinos são muito brincalhões, principalmente quando filhotes, portanto, é interessante enriquecer o ambiente com bolinhas e demais brinquedos. É sempre bom ter um arranhador para evitar que o gato desgaste as unhas nos móveis da casa.

Castrar: uma medida necessária
Segundo o Dr. Otávio Valério: “a castração é outro aspecto muito importante, pois ao atingir a maturidade sexual, o macho busca acessar a rua para procurar parceiras, marca os móveis da casa com jatos de urina de cheiro forte e a fêmea, ao entrar no cio, fica muito agitada e emite miados altos e durante um bom tempo. A castração cirúrgica evita esses comportamentos e deve ser realizada assim que o animal comece a puberdade”. Portanto, fique atento ao desenvolvimento do seu gato, leve-o sempre ao veterinário e faça a castração assim que possível.

Check-up com frequência
Os filhotes devem fazer visitas constantes ao veterinário, geralmente para completar o esquema inicial de vacinação e vermifugação. O ideal para animais adultos e senis são consultas de check-up pelo menos a cada seis meses. Nessas consultas, os animais são avaliados para vários parâmetros de saúde, alguns exames são realizados e as vacinas e vermífugos são atualizados.

O veterinário Walter Figueira, formado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) nos listou oito outras dicas importantes que você deve ter com o seu peludinho. Confira, e não se esqueça de que amor, comida, água fresca e um local limpo, sempre farão do seu gato um bicho muito mais feliz.

1 - Gatos são extremamente limpos, portanto, a areia da caixa deve ser trocada sempre, mantendo o ambiente adequado. Lembrando que não podemos usar qualquer areia. Há tipos específicos para isso;
2 - Estes animaizinhos são muito especiais: carinhosos, brincalhões, ativos (boa parte a noite) e afetivos, porém, não podemos compará-los aos cães! Gatos não abanam o rabo quando o dono chega; às vezes apenas ronronam e se esfregam nos pés;
3 – Os felinos não gostam de passear de coleiras pela vizinhança, eles preferem dar escapadinhas solitárias;
4 - Não precisam ser ensinados sobre o local de fazer suas necessidades! Você só precisa de uma caixa de areia e uma pá de limpeza;
5 - Não bebem água em potes sujos ou com restos de alimentos. Eles preferem água limpa e de preferência em movimento (como aquelas fontes);
6 - Você controla a comida de um gato, mas em geral ele faz isto muito melhor que o dono;
7 - Sofá de tecido está com a vida contada, caso você não cuide das unhas do animal, aparando-as constantemente;
8 - Gatos miam pouco: ou quando querem alguma coisa ou quando é uma fêmea não castrada e entra no cio (diga-se de passagem, esta experiência em geral é única, pois, depois do primeiro cio a castração além de ser saudável para ela, torna-se quase obrigatória para o nosso convívio); o mesmo acontecendo com o cheiro do xixi do macho que não é castrado; 




Foto: morguefile.com/alvimann
 
Siga-nos no Instagram
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas