Em Breve! Canal de Vídeos
 


Fumaça do mal

As mulheres têm maior dificuldade em largar o tabagismo, além de serem mais propensas a recaídas

Na primeira metade do século XX, o cigarro não “fazia mal”. Pelo contrário, mulheres quem fumavam mostravam certo status e eram “sexy”. Agora, mesmo que a população saiba de todos os riscos que o cigarro causa e ainda haja leis proibitivas, há quem mantenha o hábito.

Estima-se que cerca de um terço da população mundial adulta é fumante, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde). São mais de 1,2 bilhão de pessoas. Mesmo com o número alarmante, a redução da porcentagem dos brasileiros fumantes foi de 32% para 19%, como resultado das ações desenvolvidas para o controle do tabagismo. A maior taxa de fumantes fica com os jovens, tanto mulheres quanto homens.

De acordo com pesquisas, o Brasil é o segundo maior produtor de tabaco em folha do mundo e o primeiro exportador mundial. Portanto, possui os cigarros mais baratos. “Mesmo com essas facilidades, o consumo anual de cigarros caiu entre 1980 e 2003 em 43%”, explica o Mauro Gomes, pneumologista do Hospital Samaritano, de São Paulo9.

Riscos a saúde
O número de mulheres fumantes cresce cada dia mais, e com isso os problemas decorrentes do tabaco aparecem em dados alarmantes. “Isso acontece porque as mulheres possuem maior risco ao desenvolvimento de doenças ligadas ao cigarro que o homem pelas diferenças hormonais entre os gêneros, que leva a respostas biológicas distintas em relação à nicotina, à síndrome de abstinência e a doenças mais graves relacionadas ao tabaco”, explica Gomes. De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), as mulheres apresentam propensão ao aumento de câncer de pulmão enquanto, os homens, diminuição.

Para o especialista do Hospital Samaritano, parar de fumar não é apenas manter-se em abstinência. É, na verdade, uma mudança de comportamento na qual o sujeito é ativo na sua própria mudança. “Ninguém consegue mudar algo em si se não estiver disposto a fazer isso. Por isso, apenas tomar medicamentos não faz ninguém parar de fumar. Parar de fumar é uma decisão individual e própria de cada um.” 





Foto: Alejandra Mavroski 
 
Siga-nos no Instagram
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas