Em Breve! Canal de Vídeos
 


Apartamento e animais de estimação

Ter um bicinho pode ser bacana até em lugares pequenos e com os devidos cuidados

Um cachorro ou um gatinho são sempre companhias bacanas, seja para alguém que mora sozinho ou até mesmo para quem tem criança em casa, não é mesmo? Mas aí, muitas vezes, vemos pessoas doidas para ter seu bichinho de estimação, porém preocupadas, pois moram em apartamento e não sabem qual a melhor raça e como tratar essas fofuras em um espaço limitado.

Mestrando pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), o veterinário Otávio Valério de Carvalho alerta que o passo inicial, antes de escolher a raça do gato ou cachorro preferida é saber se realmente no prédio hoje você mora, as regras do condomínio permitem a presença dos bichanos, afinal, hora ou outra vão descobrir o novo morador e é bom que tudo esteja dentro das normas preestabelecidas.

O também veterinário formado pela UFRRJ, Walter Figueira, alerta para o grande problema de se escolher um animal e esquecer que ele irá crescer e ocupará espaço em seu apartamento, sendo essa uma das causas de abandono de pets pelas grandes cidades. “Sabemos que animais de grande porte dificilmente ficarão confortáveis em um apartamento, por mais que este seja grande e espaçoso, além de convenções de condomínios, que possuem força de lei”, explica. Portanto, pense muito bem antes de levar um cachorro para sua casa.

Limite é palavra certa
Devemos, antes de adquirirmos um animal, saber exatamente o que nós queremos, até onde devo dividir o meu espaço com ele, quanto tempo você realmente terá disponível para passar ao lado do novo amigo e se todos os que moram sob o mesmo teto gostam ou aceitam também. Dados os limites corretos, eles se adaptarão com a educação adequada e para isso, ninguém melhor que o próprio dono para fazer. “O principal cuidado é para que o animalzinho não se torne um ‘prisioneiro’, encarcerado e restrito a uma área e a um período de atividade em comum. Eles devem fazer parte de um contexto agradável e não um enfeite esporádico de alegria”, alerta Figueira.

Meus bichos e meus filhos
Os bichos tendem a ser fofos com as crianças, mas todo cuidado é pouco, principalmente no tocante às vacinas do seu animal: não deixe de estar em dia com elas! E lembre-se: dedo de criança não é dentro da boca do seu pet! “Cães de grande porte podem representar algum perigo em função de brincadeiras mais brutas e deve-se observar o manuseio do gato pela criança, pois a ‘falta de jeito’ pode resultar em irritação do animal e possíveis arranhões. Algumas mães temem o contato com gatos durante a gestação, no entanto, os gatos devidamente vermifugados, e que se alimentam somente de ração não oferecem risco de toxoplasmose para as gestantes. Segundo alguns estudos, a criança que convive com animais é mais afetiva, generosa, solidária, crítica e observadora”, argumenta Valério. Sendo supervisionado e o animal estando com a saúde em dia, não faz mal o seu bebê passar alguns minutos com seu gato ou cachorro.

Vamos dar um rolê?
Para que o seu pet não cause nenhum tumulto com os vizinhos e principalmente com o síndico do prédio, é preciso estabelecer uma rotina semanal de passeio com ele (caso seja um cachorro, pois gatos dificilmente gostam de sair para passear com coleira – há casos extremos). “Quanto maior a frequência de passeios, mais feliz será o cão, que estarão menos sujeitos a desenvolver problemas de comportamento e obesidade. As caminhadas são importantes para aliviar o acúmulo de energia dos cães e evitar situações impróprias como móveis roídos, latidos constantes e xixi pela casa toda”, conta Carvalho.

Portanto, se chegou em casa depois de um dia cansativo, de muito trabalho e inúmeras reuniões, pega a coleira do seu cachorro e vai dar uma volta com ele no quarteirão, brinque com seu gatinho, seus ratinhos, solte seu papagaio ou veja se a gaiola da sua chinchila está limpa! Fará bem não só para eles, como para você também.

A melhor raça
Para quem está totalmente convencida de que quer ter um animalzinho de estimação em seu “apê”, conheça as dicas que nossos veterinários preparam para você:

Como regra geral, as raças de pequeno porte são as mais indicadas, como por exemplo: Maltês, Shitzu, Lhasa apso, Yorkshire, Pinscher, Poodle, Daschund ou salsicha (Conheça cada uma dessas raças na nossa galeria de imagens, clicando na foto principal). Importante também lembrar que não só os de raça são bem vindos neste roll de sugestões: não podemos esquecer nunca do nosso querido Vira lata. Estes cães pequenos são mais adaptáveis a ambientes menores, principalmente pelos mesmos estarem sempre ao redor de seu \"dono\" o que naturalmente exige um espaço reduzido para a vida normal deles.

Além de gatos e cachorros
Na opinião de ambos os profissionais, há outras opções de animais que também podem ser bons companheiros. As melhores sugestões de pets para serem criados em apartamentos são algumas espécies de peixes ornamentais, répteis (Iguana, Cobra do Milho, Cobra Real Californiana, Cobra Real Mexicana, Cobra Falsa Coral e Cobra de Casa Africana), pássaros (Cacatua, Lory, Agaporni, Periquito e Canário) e pequenos animais exóticos (Hamster, Chinchilla, Gerbil, Porquinho-da-Índia e Ferret).

 

Fotos: Stock.Xchng e audreyjm/everystockphoto
 
Siga-nos no Instagram
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas