Contém glúten?

A vida de quem tem a doença celíaca não precisa ser difícil, e pode sim ser muito saborosa!

Ao entrar no supermercado começa aquela batalha. É olhar em todos os rótulos dos alimentos para verificar se aparece uma palavrinha: glúten! Esta substância é encontrada principalmente na farinha de trigo, sendo responsável pelo crescimento de pães, bolos e outros produtos. Porém, algumas pessoas possuem intolerância ao glúten, na chamada doença celíaca, que aparece comumente em crianças, podendo surgir, também, em outras idades, redobrando ainda mais os cuidados com a alimentação fora de casa.

No Brasil
Existem cerca de 4 milhões de celíacos no país, principalmente pessoas com predisposição genética e portadores de diabetes (tipo 1). A doença causa disfunções como desnutrição e até câncer de intestino. Alguns sintomas principais são diarréia, mal estar e anemia. É preciso ficar bastante atento aos rótulos dos alimentos, pois quando uma pessoa celíaca acaba ingerindo glúten, ocorre dentro do corpo uma produção desenfreada de anticorpos que impedem a função da absorção de nutrientes. “Dessa forma, o organismo não consegue reter os nutrientes e os elimina através das fezes, o que deixa a pessoa mais predisposta a desenvolver déficits nutricionais e anemia”, explica Alessandra Rocha, nutricionista da loja online de suplementos alimentares Desejo Saúde”.

Fique atenta!
O diagnóstico deve ser feito por profissionais e de maneira cuidadosa. E como a doença não tem cura, o único modo de viver bem é eliminar a proteína da alimentação. Desde 2003, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabeleceu a obrigatoriedade da informação sobre a presença de glúten nas embalagens de todos os produtos alimentícios. Assim, facilitou bastante na hora das compras, mas mesmo com este cuidado, é sempre bom ficar ligada aos rótulos de tudo o que for consumir.

Substituindo…
A vida sem glúten não precisa ser difícil, será apenas mais cuidadosa. Depois de ingerir, os sintomas melhoram em até duas semanas com total recuperação – mas é preciso que o acidente não se repita, e que as idas ao nutricionista sejam regulares. Além disso, a farinha de trigo, por exemplo, pode ser trocada por farinha de milho, amido ou até creme de arroz. Chocolates e cervejas também não dão desculpas às desatentas: existem versões especiais, sem glúten, feitas especialmente para quem tem a doença.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *